3.19.2008

(post it) Dia do Pai

O mais novo estava-se a portar mal. Peguei nele e pu-lo ao pé de mim. Perguntou-me se estava de castigo, respondi-lhe que sim. Começou a choramingar e a dizer que não queria estar de castigo. Pediu-me a “pêpê e a fraudinha”, o kit de emergência para as birras e para o sono. Alguns segundos volvidos e já estava a cantarolar qualquer coisa, como se nada se tivesse passado. Vi-o esfregar vigorosamente os olhos com a fralda e perguntei-lhe o que tinha. A resposta veio inesperada – Estou a limpar os olhos que estão cheios de birrinhas! - e sorriu...


Um beijo Pai. Tenho saudades tuas.

1 comentário:

Marinhoto disse...

Como te entendo, amigo... também tenho tantas saudades do meu!...