3.04.2006

(p) Puto


O puto faz hoje anos. Apesar da idade, da responsabilidade, da queda de cabelo, do tempo que teima em passar, apesar de tudo, continua puto. Como sempre. É por isso que gosto dele. Sou teu amigo, mas se quiseres sou teu irmão. Sou teu irmão, porque os irmãos amam-se, e os amigos admiram-se. Nunca me peças para não te falar, para não te procurar, porque no fim só restam os dias que percorremos juntos.

Uma vez partiste à procura de não sei o quê. Não te perguntei, mas escrevi uma canção que nunca te cantei. Hoje que fazes anos ofereço-ta. Parabéns.

faz das fraquezas forças
das tristezas alegrias
não há mal que sempre dure
e um dia não são dias
nem vale a pena me contares
a tristeza que te vai no coração
que eu já senti nos teus olhos
a mágoa e a solidão

faz do dia de amanhã
o primeiro dos teus dias
pode ser que ele te traga
aquilo que tu mais querias
nem vale a pena me contares
o que a vida madrasta te tem traído
o caminho és tu quem escolhes
o rumo e o sentido

deixa tudo para trás
e finge que és capaz
de voltar a respirar
a vida é um engano
porque quando desce o pano
o que é que sobra de nós


faz qualquer coisa por mim
que te vais sentir bem melhor
não deixes cair os braços
pinta a vida de outra cor
não vale a pena me pedires
que tenha e sinta pena de ti
porque a flor é para a abelha
o que tu és para mim

porque quando desce o pano
o que é que sobra de nós

1 comentário:

Marinhoto disse...

Parabéns ao 'Puto'... e que belo presente de anos!!