10.21.2006

(i) Irmão (do Meio)



Também eu sou o "irmão do meio". Tive a sorte de não abrir nem fechar o ciclo, pude "aprender" com os mais velhos e "ensinar" o mais novo. O mote serve para vos falar de um dos meus "poetas da canção" preferidos. Minhas senhoras e meus senhores:

Este extraordinário contador de estórias, resumiu (sem se esgotar!) neste magnífico cd, uma obra e uma carreira sem par na música e na poesia portuguesas. Os convidados são de eleição e a fusão resulta numa atmosfera musical que Sérgio Godinho teve o mérito de nunca macular. Entre os que foram e as gerações vindoras, Sérgio Godinho é para mim uma referência, um irmão do meio que me aconchega na palavra e me embala na melodia.

No meu último aniversário, o mano Lúcio (o "irmão da ponta"), ofereceu-me o livro Uma Biografia Musical de Sérgio Godinho, da autoria de Nuno Galopim. Ainda não o li (por manifesta falta de tempo...), mas tenho a certeza que vou gostar. Quem tem uma obra com a excelência da sua, tem por certo um percurso de vida musical e humano, rico e revelador. Vivó Sérgio!

Para quem teima não esquecer, fiquem com:

O Primeiro Dia

(letra e música: Sérgio Godinho)


A princípio é simples anda-se sozinho
passa-se nas ruas bem devagarinho
está-se no silêncio e no borborinho
bebe-se as certezas num copo de vinho
e vem-nos à memória uma frase batida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida


Pouco a pouco o passo faz se vagabundo
dá-se a volta ao medo dá-se a volta ao mundo
diz-se do passado que está moribundo
bebe-se o alento num copo sem fundo
e vem-nos à memória uma frase batida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida


E é então que amigos nos oferecem leito
entra-se cansado e sai-se refeito
luta-se por tudo o que leva a peito
bebe-se come-se e alguém nos diz bom proveito
e vem-nos à memória uma frase batida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida

Depois vem cansaços e o corpo frequeja
olha-se para dentro e já pouco sobeja
pede-se o descanso por curto que seja
apagam-se duvidas num mar de cerveja
e vem-nos à memória uma frase batida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida


Enfim duma escolha faz-se um desafio
enfrenta-se a vida de fio a pavio
navega-se sem mar sem vela ou navio
bebe-se a coragem até dum copo vazio
e vem-nos à memória uma frase batida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida


E entretanto o tempo fez cinza da brasa
e outra maré cheia virá da maré vaza
nasce um novo dia e no braço outra asa
brinda-se aos amores com o vinho da casa
e vem-nos à memória uma frase batida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida

Há coisas fantásticas, não há?

2 comentários:

Marinhoto disse...

Sem que nunca mo tivesses dito, eu já adivinhava que gostasses do Sérgio Godinho!...
E porquê? Tão simplesmente porque o Sérgio não pode deixar de ser admirado por quem goste de música, por quem admire o que se pode fazer com esta extraordinária língua que é a nossa -e o Sérgio Godinho é inultrapassável mestre no domínio da linguagem e na conjugação das palavras que usa para, com o seu superior poder criativo, nos transmitir ideias, conceitos e relatar histórias absolutamente fabulosas!...

Além disso, reconhecendo-te eu um elevado sentido estético e criativo, coisas que ao Sérgio também não faltam , nada me surpreende que tenhas por ele grande admiração…

Por tudo isto, também não poderia deixar de estar de acordo com o que dizes sobre o ‘Irmão do Meio’!... É, sem dúvida, o Sérgio do seu melhor!...

Fico a aguardar o que nos vais oferecer para a letra J…

Um abraço e votos de que consigas dispor demais tempo para ‘postar’.

Zé Lérias disse...

Parabéns pelo seu bom gosto.
Também tenho o Sérgio Godinho entre os meus favoritos.